quarta-feira, 16 de abril de 2008

Lyre Bird e a Canção do Fim das Florestas

A seleção sexual é muito subestimada. Sempre que pensamos em problemas ancestrais pensamos na sobrevivência, quase nunca na reprodução. A nossa sorte é que ainda temos aves - nossos queridos dinossaurinhos - no planeta Terra para nos mostrar os poderes da seleção sexual.


Por si mesma a seleção sexual já nos surpreende demais, porém mais surpreendente é o que os indivíduos podem fazer com as adaptações evolutivamente moldadas pela seleção sexual. E não estou falando sobre belas penas colorias mas sim de sons maravilhosos.

Os seres humanos não são os únicos que imitam os sons dos outros animais, muitos pássaros o fazem. Todos estão carecas de saber dos papagaios e suas habilidades para imitar vozes humanas, latidos, miados, assovios, etc.
Os pássaros imitadores possuem um ouvido musical fenomenal e um aparato vocal bem complexo com ressoadores desenvolvidos que, juntos com mecanismos cognitivos de aprendizagem sonora e memória, os permitem reproduzir com perfeição quase qualquer som no ambiente.

É fácil pensar na imitação solucionando problemas de sobrevivência. Os pássaros podem aprender o canto de um predador de seus competidores e imitá-lo sempre que encontrar uma boa fonte de alimento, afugentando os outros e ficando assim com tudo para si. E isso realmente acontece. Mas é no canto de corte que o repertório fica rico, complexo e variado. Os cantos de corte são sempre mais trabalhados do que os outros sinais sonoros cotidianos.

Um pássaro que levou isso ao extremo é o Lyre Bird ou pássaro lira, graças ao formato de lira de sua plumagem caudal. Ele vive na Austrália e é um dos melhores imitadores dentre os pássaros. Ele é capaz de imitar cantos de cerca de 20 espécies diferentes fora muitos sons que vem aparecendo nas florestas.


Sir David Attenborough, famoso apresentador de programas sobre natureza e seres vivos e um forte defensor destes, esteve na Austrália e nos conta tudo de mais belo na habilidade do Lyre bird e tudo de mais preocupante.


É lindo ver em ação toda a habilidade de imitação do Lyre bird, mas seu canto é flagrante sobre a situação deplorável do desmatamento nas florestas, quiçá no planeta todo. É triste ver o Lyre bird imitando o som da destruição de seu próprio habitat. Vem do comportamento animal na própria floresta a canção do fim das florestas. Veja o vídeo.



3 comentários:

Renato de Mei Romero disse...

parece piada...
mas a realidade doi..
imagine o potencial disso em campanhas conservacionistas televisionadas!!
abraço

Rafael Bento da Silva Soares disse...

Lindamente dramático.
Vovô Attenborough, nós te amamos!

Isis disse...

Não conhecia o passáro e essa história...